terça-feira, 1 de julho de 2008

INSUSTENTÁVEL 4 (repostagem)

Essa semana foi lançado um novo tipo de plástico, bem disfarçado de ecológico. Como você sabe, a matéria prima do plástico comum é o petróleo que é cada vez mais escasso. O novo plástico disfarçado de ecológico tem como matéria prima o milho, ou melhor, óleo base de milho. Essa mudança fará com que os materiais plásticos sejam biodegradáveis, o que é ótimo.

Mas de boa intenção, o inferno está cheio.


Claro que a mudança de petróleo para óleo vegetal é interessante, mas trará outras conseqüências ambientais tão sérias como a poluição/guerra que o petróleo cria.
O preço do milho, como qualquer tipo de mercadoria, é estabelecidos pela lei da oferta e procura. Se a demanda por óleo de milho crescer, os preços seguirão o mesmo caminho, impossibilitando populações de o consumirem como alimento.

Quando a demanda por milho crescer, pressionará áreas agrícolas e florestadas a plantarem milho também. A mesma lógica pode ser aplicada a questão da produção de etanol no Brasil. Maior demanda por cana = mais áreas plantando-a.

Não se trata de ser contra, mas tenho a impressão que o problema não é mudar a matéria prima e sim o padrão de consumo das pessoas. Consumir com menos fervor, é possível?
Faça esse quizz e descubra quantos planetas seriam necessários existir se todos 6 bilhões que somos consumissem como você!

3 comentários:

tatyane. disse...

2.4 hectares globais por pessoa.
se todos tivéssemos uma pegada ecológica semelhante à sua, iríamos precisar de 2.4 planetas terra.

é, acho que é um pouco demais :x

italo disse...

ei, esqeça nao
dia 13 estaremos lá na ilha
com o bandeirão de 10x10
vai ficar sinistro!!!!
abraço

Juliana. disse...

quase lá...

"SE TODOS TIVÉSSEMOS UMA PEGADA ECOLÓGICA SEMELHANTE À SUA, IRÍAMOS PRECISAR DE 1.1 PLANETAS TERRA."

mas eu acho que é porque eu ando bem mais de ônibus que de carro...
e também acho que não comer carne ajuda. o/