segunda-feira, 22 de setembro de 2008

PRIMEIRA FASE UFPE UMAAUMA 6

O enunciado aponta para problemas geopolíticos canadenses, que convenhamos, não é uma coisa que fará o mundo tremer, ainda mais porque o conflito em questão teve seu ápice na década de 60.
De qualquer maneira, era uma questão chata, por ser bem específica. De qualquer maneira era possível eliminar duas alternativas logo e cara.
A letra B aponta para conflitos entre migrantes canadenses e americanos, coisa que não acontece, como vimos nas aulas sobre o NAFTA. A letra E também dava para ser eliminada logo de cara por afirmar que grandes empresas americanas e européias cobiçam recursos minerais (ferro e carvão) canadenses. Esses recursos já são negociados no âmbito do NAFTA, mas sem participação do mercado consumidor europeu.
A letra A e letra D, afirmam que existem vários conflitos étnicos no Canadá. A afirmação está equivocada por que o problema canadense não é étnico, afinal sua colonização foi feita por anglo-saxões que exterminaram a etnia indígena que ficava mais ao sul, na fronteira com os EUA. De qualquer maneira, esse massacre étnico não fortaleceu a população indígena ao ponto de reivindicarem independência.
O Quebec, com a maior parte da população descendente de migrantes franceses, é uma província que sempre lutou pela independência do Canadá. Esse fato decorre justamente dos valores culturais e educacionais diferentes que existem entre a parte francesa e a parte inglesa. A província tem autonomia em diversos Âmbitos, como lingüísticos, educacionais e tributárias, mas continua sendo Canadá.

Nenhum comentário: