quarta-feira, 10 de setembro de 2008

tiras de segunda 10

No ótimo (e já comentado nesse espaço) filme O Ódio, que por sinal foi relançado e vale muito a locação, a primeira cena é de um coquetel molotov caindo do espaço na Terra enquanto o narrador diz:
- "Era uma vez um homem que se jogou do 50º andar de um prédio e a cada andar que passava ele repetia "até aqui, está tudo bem; até aqui está tudo bem...". O problema não é a queda, mas a aterrisagem"

Pensando no provável farto futuro de vcs lembro que o problema é que talvez o "térreo" chegue nas próximas décadas e aí, todo esse divertimento imediatista egoísta que norteia o pensamento de boa parte de nós ( e que pode ser traduzido por "se o mundo acabar algumas décadas depois que eu morrer tudo bem" ou "o cara pode até ficar pobre mendigando, mas não na rua da minha casa" ou ainda a máxima: "viva cada dia como se fosse o último") mostrará o tamanho de sua estupidez.




Um comentário:

Lucas disse...

Po, ainda num vi "o ódio" mas a cada post quero mais ver..:)
Boa a reflexão, a grande questão é saber o ponto exato em que devemos de parar de aproveitar o presente e pensar no futuro.
Se pensarmos antes do tempo, deixaremos de viver o presente, se pensarmos depois, deixaremos de viver o futuro, e além de tudo isso ainda existe o fator acaso, no qual, se deixarmos de viver o presente pra viver o futuro e esse não vir a acontecer pq o presente se foi antes da chegada do futuro com um acidente que nada tinha a ver conosco?!
é, num sei se me expressei bem, só acho que a palavra certa da vida é equilíbrio, quando se saber botar isso em prática, sabe-se viver!