terça-feira, 23 de setembro de 2008

WAR IN RIO

Um designer carioca criou, nos moldes do famoso WAR, jogo de tabuleiro que demora 3 horas e é muito legal, um WAR IN RIO.
As regras, o tabuleiro e tudo o mais você lê aqui!



O que você acha?
A idéia é ótima, mas e se fosse comercializado?

15 comentários:

Amanda Gabriella disse...

aaah! eu vi isso..
muito bom!
eu querereria jogar com o BOPE, claro! O único que é osso duro de roer..

thiagokoutzii@hotmail.com disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
italo disse...

o q vc acha TUTU?
se a moda pega...
e a turma se empolgar do msm jeito q o filme ,é difícil controlar o vício depois!!!
é bacana ,bom,mas nao sei se seria uma boa ideia comercializar esse "brinquedinho"
abç TUTU

thiagokoutzii@hotmail.com disse...

ab

danilo mota disse...

só p botar mais lenha na fogueira né?! tudo vira dinheiro facil facil.

eu achei massa a ideia.. fiquei afim de jogar.. mesmo.. heheh

;)

tripledanilo@gmail.com

carol disse...

só pra atualizar... a covest rejeitou as contestações de geografia. http://www.pbt.com.br/covest_vest2008/respostas_contestacoes.pdf

;*

khalila disse...

eu quero um desse!

thiagokoutzii@hotmail.com disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
thiagokoutzii@hotmail.com disse...

valeu carol!

CAPITÃO disse...

porra...
vale tudo pra ganhar dinheiro né...
até "brincar" com a disgraça alheia.

mais... num país em que morre uma pessoa e a galera se junta em volta pra ver o corpo, rir da desgraça nacional num é nada né...

flww galera.

Franklin Montanha disse...

estamos no mundo das banalizações...jogos de todos os tipos, sobretudo eletronicos, que brincam com coisas muito sérias

mas...

quem está salvo disso né?
quem nunca jogou CS no cenário da favela do rio de janeiro?

coisas assim

o próprio War, se não me engano, surgiu inspirado na guerra fria, final do anos oitenta....

Tarso Loureiro disse...

Vou polemizar um pouco (mas ser sincero ao mesmo tempo)

A "guerra" no Rio não é menor do que a de SP e provavelmente a do recife, a de Vitória, etc. Portanto não se brinca com a desgraça alheia/própria, mas explora-se o imaginário das pessoas e sobretudo seu medo. "tiros em Columbine" (filme nota 8) mostra bem isso nos EUA.
A sensação de ´^anico é ridícula, covarde, conservadora e desproporcional.
Em maio do ano passado eu estava em SP. A cidade parou. Pq? Por medo injustificado, pânico generalizado. Boçais pais de classe média abandonaram seus trampos para buscarem seus filhos nas escoals antes que os outros (qq semelhança com lost não é mera coincidência) chegasse. "Eles", os pobres, os pretos, os outros podiam os agredir.
Entre 1940 e 1942 Londres sofreu mais de mil, repito, MAIS DE MIL, ataques aéreos do nazistas. Sabe qtos dias a cidade parou? NENHUM! Seguir a vida era um instrumento de resistência.
O Brasil não tem crime organizado. A Itália tem. Os EUA. A espanha. Lá um juiz que condena um chefe de uma grande quadrilha ou explode ou vive escondido. Aqui dá entrevista pra TV. Temos vandalismo em larga escala. Moleques cheirados armados que metralham uma delegacia de moto e saem voando.
Aceitamos isso pq meninos de 12 anos assaltam mulheres com um caco de vidro. Se fossemos minimamente corajosos essas mulheres dariam uns bons tapas na bunda desses pirralhos, mas o medo é maior, toma conta...


"É o horror, é o horror, é o horror..."

Maíra Arrais disse...

spray de pimenta neles. =P

capitão disse...

hum.
sabias palavras de nosso amigo tarso.
porém...

a guerra do rio é muito maior q a de recife.
não diria q a de SP.
axo até q SP é muito pior q o rio.
porque a area periferica de SP é muito maior. acabam se misturando as favelas umas com as outras e com a propria cidade (mais ou menos como ocorre em recife, sendo q em recife, não são tão grandes). quanto a do rio, sendo a periferia em morros, termina acontecendo uma "concentração" do crime em uma area especifica. eu diria até q seria muito mais facil acabar com o problema do rio q o de SP.

axei muito interessante a tirinha q thiago postou ai em cima "hitler no leblom" lembra como as favelas são os guetos/campos de concentração do sec. 21.

e lembrando q SP e RJ tem os maiores grupos organizados do Brasil.
alias, discordo do tarso, q disse q o brasil não tinha crime organizado.
oq seria então o PCC em SP, ou esses comandos vermelho e etc. do RJ ??


mais...
em geral...
a banalização está muito grande mesmo.
e axo q jogos e filmes exploram SIM a "desgraça alheia".
lembrando q documentarios como oq foi citado por tarso, não são banalizações. eles até devem existir. filmes como "tropa de elite", devem ser feitos sim, pois eles servem para "abrir os olhos" da população.

agora, ficar brincando com o crime e banalizando-o, isso já é errado.
imagina se vc tivesse perdido um filho na guerra do trafico. imagina se vc iria querer ver um jogo como esse, q brinca com a vergonha nacional ???

axo q o jogo até é bem feito e tudo mais.

porém.
tem coisas q não devem ser levadas na brincadeira.

flww galera...

R disse...

eu queria jogar.
eu ia ser o vermelho
barbudo
comedor de criancinhas