sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

1 ANO!!! Especial tiras

"Nossa! Quanta gente visitou o blog num ano!"






DADOS DO PRIMEIRO ANO!

Agora que você esta baixando a trilha sonora que vai reger a festa aqui redação do blog, vou apresentar alguns dados sobre a freqüência do blog!

Até agora, 6700 pessoas diferentes visitaram o blog!

Elas vieram até aqui 14 mil vezes!!!!

E exibiram 21 mil vezes páginas diferentes!

O dia de maior visitas foi esse ano, dia 20 de Fevereiro com 141 visitas no dia.

O dia de menor visita foi 16 de julho do ano passado, com apenas 1 visita!! Haushasuhuas, nem

no dia de estréia houve tão poucos visitantes. hehehe.

A média de permanência é de 2 minutos e 37 segundos!

De todas as visitas, 11 mil foram do Brasil,

55o dos EUA

e 350 de Portugal.


A visita mais estranha veio do Kasaquistão e durou bons 7 minutos,

Timor Leste,

Hungria,

Argentina,

Polônia,

Cabo Verde,

China,

Egito,

Marrocos,

El Salvador e vários outros fazem parte da lista de visitantes.

Recife veio até aqui 5700 vezes com média de 4 minutos.
São Paulo se fez presente 950 vezes,

o RJ em terceiro com 450 visitantes!

Dentro do Brasil, os visitantes mais distantes vieram de Rio Branco no Acre (1 maluco),

Bagé (1 visitante)

e Pelotas (com 20 visitantes!) ambos do Rio Grande do Sul.





É TUDO NOSSO


Com fome de tudo e medo de nada!

E A TERRA TREMEU DE NOVO!

MATÉRIA DO G1

Os tremores que atingiram a região Norte do Ceará na madrugada desta sexta-feira (29), alcançaram a magnitude de 3,9 graus na escala Richter, segundo informações da Defesa Civil do estado. Famílias estão desalojadas e foram acomodadas em barracas de lona em Sobral, cidade mais afetada pelo abalo.

Cerca de 100 tremores foram registrados em várias cidades do Ceará a partir das 2h. O chefe do Laboratório de Sismologia da Defesa Civil do estado do Ceará, Francisco Brandão Melo, disse ao G1 que a magnitude do tremor foi divulgada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. "Esse foi o maior de todos."

Brandão disse que a população está apavorada. "O barulho foi forte e deixou os moradores em pânico. Isso já seria suficiente para as pessoas se acostumarem com o fenômeno, mas a gente sabe que as coisas não são simples. Muitas casas foram rachadas e destelhadas. Os danos foram muito grandes."

O laboratório de Sismologia da Universidade de Brasília (UnB) informou que ainda está analisando os registros do tremor de terra no Ceará, mas já adiantou que os gráficos indicam abalos sísmicos com intensidade entre 3,5 e 4,0 graus na escala Richter. Ainda segundo a Defesa Civil, este ano já haviam sido registrados três abalos sísmicos na região. Os sismógrafos apontaram um abalo de 3,5 graus na escala Richter em 13 municípios, há cerca de dez dias.
Os especialistas explicam que esses abalos sísmicos são típicos dessa região do Nordeste, por conta da acomodação das placas terrestres. "A população vai ter de se acostumar com isso, porque a possibilidade de acontecer novamente é grande", disse Brandão.

-------
NOTA DO BLOG: APESAR DE AINDA NÃO TERMOS ESTUDADO GEOLOGIA, CABE UMA ANÁLISE, BEM RÁPIDA E SIMPLES!

ESSE TIPOD E TERREMOTO É UMA LIGEIRA ACOMODAÇÃO DE PEQUENAS FALHAS QUE RESTARAM DA FORMAÇÃO INICIAL E ANTIQUÍSSIMA DA PLACA SUL AMERICA, CERCA DE 4 BILHÕES DA ANOAS ATRÁS. O PÂNICO É FRUTO DA RARIDADE DO EVENTO, COMO ANO PASSADO EM MINAS GERAIS!

PARA QUE FIQUE CLARO, É UM MECANISMO COMPLETAMENTE DIFERENTE DOS SISMOS QUE ATINGEM TODO O LITORAL DO PACÍFICO, OU A ÁSIA CENTRAL.
DURMAM TRANQUILOS, NÃO HÁ TSUNAMI!!

O PORÉM DA NOTÍCIA, QUE AONDA NÃO FOI DIVULGADO, É QUE NA REGIÃO EXISTEM BARRAGENS HIDRELÉTRICAS QUE FORAM CONSTRUÍDAS EXATAMENTE SOBRE A FALHA!!
COISA DE MALUCO!
ASSIM COMO A USINA NUCLEAR DE ANGRA TAMBÉM ESTA SOBRE UMA FALHA!

O RESUMO GERAL É O SEGUINTE, NA PARTE LESTE DO BRASIL SÓ OCORREM TREMORES DE TERRA POR 3 MOTIVOS:
1- QUANDO O SÃO PAULO JOGA NA CIDADE, SEMPRE FICA ABALADA, O CHÃO TREME, A PAREDE RACHA E O PÂNICO ADVERSÁRIO CRESCE!
2- SE ROLAR UM SHOW DA NAÇÃO ZUMBI!
3- SE FALHAS PRETÉRITAS SE REACOMODAREM!

E SEMPRE NESSA ORDEM!

INDO


quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

MAIS MÚSICA GRATUITA E DESCONHECIDA!

E ISSO QUE NEM É SEXTA FEIRA!!!! APROVEITEM! BAIXEM E DEPOIS, SE FOR O CASO, DELETEM! (A RESENHA É DO EU OVO!)

Tudo começou com o tributo ao velho ‘Rei do Baião’. Claro que houveram outros tributos antes, mas nos últimos tempos o ‘Tributo ao Gonzagão’ foi o que reuniu maior número de grandes bandas da atualidade.


Gonzagão, o ‘Rei do Baião’ dispensa comentários, mas o que dizer de Teixeirinha, Odair José, Waldick Soriano, Reginaldo Rossi ou Ronnie Von.
Odair José ficou conhecido como brega, alcunha que ele tentou, em vão, recusar, pois ele gravou músicas muito populares no início da carreira, como ‘Cadê você’ e ‘Uma vida só (Pare de tomar a pílula)’, mas depois do disco ópera-rock ‘O filho de José e Maria’, José foi excomungado e ficou no ostracismo. O disco ‘Eu vou tirar você desse lugar’ faz juz a carreira de Odair José, com uma bela homenagem.

Teixeirinha foi campeão de vendas no Rio Grande do Sul, chegando a vender mais que Michael Jackson. Ele também fez vários filmes com muito sucesso. O ‘Especial Teixeirinha’ homenageia o caudilho dos pampas.

Já Ronnie Von foi o ‘Príncipe da Jovem Guarda’, uma vez que Roberto Carlos era o ‘Rei’. Ronnie Von também foi o padrinho dos Mutantes e responsável pelo nome do grupo. O trio paulistano foi contratado para atuar como banda de apoio do programa vespertino de Ronnie Von, e chegaram a gravar um disco com o padrinho.

Waldick Soriano ficou célebre com a canção ‘Eu não sou cachorro, não’, que também deu título ao ‘Tributo ao Brega – Eu não sou cachorro mesmo’, que faz homenagens a vários nomes do cancioneiro popular, como Lindomar Castilho, autor de ‘Você é doida demais’ e Reginaldo Rossi, autor de ‘Deixa de banda’, ‘Mon amour meu bem ma femme’ e da famosa ‘Garçom’, que não esta no disco. Rossi faz uma participação na canção interpretada por Silvério Pessoa.

Outro tributo presente nessa postagem é um para a maior banda pop de todos os tempos, os ‘Beatles’. Vários artistas regravaram o que seria seu disco mais famoso, ‘Sgt. Peppers lonely hearts club band’, com direito a duas bônus tracks, ‘Strawberry field forever’ e ‘Penny lane’, mas que é fã da banda, sabe que essas duas canções foram gravadas na sessão do ‘Sgt. Peppers’, tanto que foram lançadas em compacto antes do álbum. Infelizmente o compacto não foi bem aceito pelo público e as canções acabaram ficando de fora do disco. No tributo ‘Sargento Pimenta’ as músicas foram mantidas, como deveria ter sido.

No meio de tantos tributos eu mando ver em dois discos que na verdade são tributos a estilos musicais, como frevo e samba. O disco ‘Samba Novo’ reuniu artistas que são a nova geração do samba, como Sergio Loroza, Roberta Sá, Trio Madeira Brasil e Talma Freitas.

Outra compilação que vale a pena lembrar veio do site Urbanaque, que em 2006 colocou várias bandas para comemorar o dia do namorados, e no final do ano lançou a coletânia de natal ‘Papai Noel Chegou’. Em 2007 a compilação de natal foi novamente disponibilizada pelo mesmo site.

O disco ‘Frevo do Mundo’ foi lançado durante o carnaval de 2008, e não podia ficar de fora, por causa de várias gravações inspiradas das bandas que participaram do álbum.E como também não poderia faltar, a revista Brazuca fez uma compilação, para francês ouvir, do melhor do rock brasileiro atual com a seleção do site SenhorF.



1. Ao cruzeiro (Los Porongas)

2. Jardim de inverno (China)

3. Mais do que isso (Superguidis)

4. Semáforo (Vanguart)

5. Ciência (Ludov)

6. Meu velho Escort (Beto Só)

7. Manicômio (Violins)

8. Sabo (Hurtmold)

9. Incontrolável (O Quarto das Cinzas)

10. Mazzaropi incriminado (Charme Chulo)

11. Café BR (Cravo Carbono)

12. Sem palavras (Móveis Coloniais de Acaju)

13. Hey (Pata de Elefante)

14. Hotel Cervantes (Autoramas)

15. Pra Deus implorar (Volver)

16. Chick chick boom (Lucy & The Popsonics)

17. 3.000 folhas (Supercordas)

18. Fuck you lady (Macaco Bong)

19. Tecno da saudade (Pio Lobato)


--------

NOTA DO BLOG:

NOTEM QUE NÃO HÁ MENÇÃO DE CIBELLE, CPM, CHARLIE B., VANESSA DA MATTA, IVETE, O RAPPA E CIA.... OU SEJA, DEVE VALER A PENA GASTAR ALGUNS BITS POR ELES E VER QUAL QUE É!!!


EM BUSCA DO DESCONHECIDO.......... SEMPRE!


É TUDO NOSSO,


MAS FAÇA POR ONDE!

A PRIMEIRA LIBERTADORES AGENTE NÃO ESQUECE, NEM A SEGUNDA, NEM A TERCEIRA.....

ÉÉÉ HOJE!!!!
MAS COMO O TIME AINDA ESTA CAPENGA, COLOCO ABAIXO UM TEXTO DO RICA PERRONE (ESCRITO NESSA SEGUNDA FEIRA E SEM AFETAÇÃO) QUE SINTETIZA O ATUAL MOMENTO DO UNICO TIME BRASILEIRO TRICAMPEÃO DA LIBERTADORES E DO MUNDO EM 5 BILHÕES DE ANOS!


Tricolor 2008, fato incontestável, ainda não se encontrou. Joga de forma confusa, usa a bola parada para “salvar” derrotas e insiste em cruzamentos o jogo inteiro. Nada contra cruzamentos, desde que sejam passes e não balões pro meio da área.

Muricy está tentando fazer um carrossel. Se conseguir, o SPFC vira imbatível, mas, a 3 dias de começar a Libertadores, isso nem dá sinais de acontecer. Culpa do Muricy? Vamos devagar...

As coisas tem que ser analisadas separadamente. Ontem a noite assisti ao jogo com calma, fazendo anotações e observando detalhes, inclusive alguns que ouvi do próprio treinador em 2007 numa palestra. Está uma bagunça tática, mas também há falhas individuais notáveis.

Nosso capitão e ídolo Rogério Ceni não está na sua melhor fase. Salva as vezes, porque é um jogador monstruoso, mas, não é Ceni regular de sempre.

O Joilson está tímido demais. Não parte pra cima, parece que ainda não se enturmou, não se sente a vontade. Talvez, falte apoio.

A zaga, notem, é formada por jogadores já exaltados pelo talento. Não me convencerão que o Juninho ou o Alex destruíram a defesa. Primeiro porque são bons jogadores, segundo porque formam a “sobra”, logo, não são tão primordiais assim para se desmontar um sistema “perfeito”.

A questão na defesa, pra mim, é muito mais ampla. Muricy coloca Richarlyson como zagueiro/lateral. O Joilson fica mais livre pra jogar, mas o André Dias fica mais sozinho com o atacante. Quando o Richarlyson vai, existe uma tentativa de controle coletivo, onde um dos volantes fica, o outro abre, um recua, enfim, até isso ser devidamente absorvido pelo time leva tempo.

As funções não são claras. J.Wagner não ta jogando de meia, nem de lateral. O Richarlyson, nem de lateral, nem de zagueiro. Os 3 volantes não são nem volantes, nem meias. O SPFC joga sem meias, mas com um time que vai inteiro e alterna as chegadas. Ok, é bacana! Duro de marcar, mas tão duro de marcar quanto de fazer funcionar.

Com Adriano e Borges, ou seja o Aloísio, a movimentação ofensiva é pífia. E quando um ataque é pesado e se mexe pouco, se faz necessário que os laterais cheguem ao fundo, que um meia se aproxime e os volantes dêem opção.

Os volantes dão, porque viram meias o jogo todo. Os laterais não sabem quando podem ir e nem até onde. Já notaram como esse time do SPFC cruza da intermediária? Porque não vai à linha de fundo?

O cruzamento de frente pra zaga favorece muito quem defende. Essa bola tem que vir da linha de fundo, mas os laterais do SPFC não conseguem chegar lá. Porque tem que marcar? Não seria o correto, já que o time tem 3 volantes ou 3 zagueiros sempre.

Num resumo mais simples, o SPFC me parece com um problema de entendimento, somado a má fase de alguns. O time não consegue assimilar o que quer o Muricy, pois o que ele quer é muito complicado e leva tempo.

Lembra do que reclamei em 2007 com Souza? Que não acho interessante usar um meia na lateral e de volante num ano após ele ter feito grande temporada? Então, mesma coisa pro Richarlyson. Nào concordo com ele na zaga, na lateral, etc. Ele foi muito bem de volante, e é lá que deve ficar.

O time do SPFC é muito preso, pesado e confuso. Os jogadores parecem não conseguir assimilar o esquema do Muricy, que por sua vez não tem culpa alguma de erros individuais como tem acontecido.

Agora, seguindo a linha do próprio treinador, zaga tem que jogar junta. Se ele quer que funcione, enfia o Juninho ou o Alex ali e deixa entrosar, mesmo que errando. Tirando um por jogo, mudando pro 442, ou falso 352, todo jogo, não vai entrosar ninguém.

Ontem, pra tirar o Juninho, o Zé Luiz teve que alternar com o Fábio Santos. O Richarlyson foi um terceiro zagueiro, o J.Wagner nem meia, nem lateral. Pra ajudar, o coitado do Joilson não tem com quem jogar,porque o time capenga inteiro pro lado esquerdo.

Tá muito feio de ver.

E pra desespero de muitos, o Atlético Nacional é o melhor time da Colombia, tem uma dupla de ataque rápida, um setor de meio-campo que cria jogadas de cotra-golpe e uma torcida que anda ajudando o time. Se jogar igual ontem, o SPFC perde de goleada na quarta-feira.

Mas, Libertadores é Libertadores. Talvez falte ao time um despertador, e ele pode ser a mudança de torneio.

Pra cima deles, porque o time é muito bom. É só querer.

Abs,
RicaPerrone
http://ricaperrone.zip.net/

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Chico Science Banditismo

O CURTA QUE DANDARA INDICOU NO LINK ABAIXO É SENSACIONAL! NÃO PEEEERCAM!
E NA CORRERIA DA PRÓXIMA AULA, ME LEMBREI INEVITAVELMENTE, E DE MANEIRA ÓBVIA DA BANDITISMO!!
O CLIP É DA MTV DE SP, BOA EM EDIÇÃO MAS QUASE FORA DO CONTEXTO... EU DISSE QUASE, OK?
AFINAL CIDADES SE PARACEM NA ESSÊNCIA, NO CIMENTO, NAS GRADES, NAS TRETAS, NOS TRUTAS, NAS QUEBRADAS E POR AI, POR LÁ É VAMOS E SOMOS!

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

COLUNA DO ÁLVARO

Álvaro Pereira Júnior - cby2k@uol.com.br

Os blogueiros, a real e o pagodão

CHEGUEI À definição perfeita de um blogueiro: é o sujeito "que passa a manhã sem fazer nada e depois, à tarde, escreve sobre o que fez de manhã".

Genial, não é? Pena que não é minha, e nem é, na verdade, sobre blogueiros. Trata-se de uma crítica feita sobre o trabalho de um escritor britânico de pouca importância, A. C. Benson. O autor do disparo é o professor de literatura James Wood, que acaba de publicar na Inglaterra um livro chamado "How Fiction Works" (como funciona a ficção).

Wood pratica um tipo de crítica literária desconhecido no Brasil: a crítica literária interessante. Li a resenha de seu livro na revista inglesa "The Economist", e vou encomendar rapidinho. Foi a "Economist" que citou a frase sobre A. C. Burns, que peguei emprestada para sacanear os blogueiros.

E, falando em internet, voltemos ao assunto-base de "Escuta Aqui": música.Semana passada, comentei sobre a cantora de 15 anos Mallu Magalhães, nova sensação indie da internet brasileira.

Um dia depois de escrever a coluna, fui ver Mallu tocar em São Paulo. Esperava caos total na porta do clube, tal o bochicho on-line em torno de moça.

Mas estava sossegado, umas 120 ou 150 pessoas, eu chutaria. Bastante para uma artista tão jovem, mas nada, zero, se a gente comparar com o mundo real.

O mundo de verdade fica aqui do outro lado da minha rua, num apê de cobertura que, ou é de uma família com os pais mais tolerantes do mundo, ou é uma república estudantil. Ali é o seguinte: 24 horas por dia de pagode e axé.

Agora, quando leio que A ou B está hypado na internet, saio na janela. Ouço aquele som do Molejo ("Ô, menininha, eu sou seu fã") e caio na real.
Não anima, mas ajuda a manter a sanidade.

CD PLAYER

PLAY - Urso de Ouro para "Tropa de Elite" Um júri presidido pelo velho comuna Costa-Gavras premiou o filme que a panela do cinema brasileiro chamou de fascista. Lindo.

PLAY - Rádio 3wk.com Os leitores recomendam faz tempo, finalmente fui conferir: beleza pura, só novidades bacanas.

EJECT - Obama na frente da Hillary Sério, daqui a pouco só vai me restar mudar pro lado oculto da Lua.

SALÁRIOS DE PROFESSORES

No jornal de hoje, li uma matéria sobre diferença salarial de professores do Brasil. O jornal, que não é de Pernambuco trás entre outras couves esses dois parágrafoa:

Em Pernambuco, Maria Agnalda Cunha, 47, mesmo com nível superior, tem na rede estadual salário bruto com gratificações de apenas R$ 542 para uma jornada parcial. Segundo ela, o valor não chegar a ser suficiente nem para poder quitar mensalmente as despesas com água, luz e telefone.Por isso, precisa complementar o salário dando aulas à noite no município e, entre as duas escolas, ainda acha tempo para dar aulas particulares. "Fica muito apertado e não sobra quase nenhum tempo livre", diz Maria Agnalda.

Já Cesar Santos, 41, professor em Brasília, consegue um rendimento líquido de cerca de R$ 3.000 ao trabalhar exclusivamente na rede distrital."Se eu disser que não consigo viver com esse salário estaria mentindo, mas não pago aluguel. Muitos professores daqui não têm essa facilidade, o que faz muita diferença numa cidade com custo de vida tão alto", afirma Santos.

---------
NOTA BLOG:
E AI? QUE DIZER? QUAIS DESCULPAS? QUAIS CONSEQUENCIAS? QUAIS COTAS?

BOMBA TERRORISTA EM CARACAS

FABIANO MAISONNAVE
DE CARACAS para a FOLHA DE SP
Uma bomba explodiu ontem diante da sede da Fedecámaras, em Caracas, matando o suposto autor do atentado. É o quarto ataque desse tipo neste mês, todos reivindicados pela até recentemente desconhecida organização Frente Guerrilheira Venceremos, que diz apoiar o presidente Hugo Chávez.


O ataque ocorreu por volta da 1h da madrugada. A polícia de Chacao, município de Caracas controlado pela oposição onde ocorreu a explosão, disse que a vítima é Héctor Abreu, 44, um inspetor da Polícia Metropolitana, ligada ao governo de Caracas, sob comando chavista.

Como nos outros ataques, foram encontrados panfletos da organização, desta vez acusando a Fedecámaras de "desestabilizar a cadeia de produção e distribuição de alimentos".


A organização patronal teve papel ativo no frustrado golpe de Estado contra Chávez, em 2002, e tem sido acusada pelo governo nacional de estocar alimentos para aumentar a atual falta de produtos básicos.
A série de explosões neste mês em Caracas atingiu a estátua do herói norte-americano George Washington, a representação do Vaticano e um prédio onde funcionam escritórios da Assembléia Nacional. Ao contrário de ontem de madrugada, ninguém havia morrido.

OSCAR? O MÃO SANTA? COMO? HEIN?



EDIÇÃO DE 60 SEGUNDOS DA SUPOSTA FESTA ULTRA COMERCIAL (E A JUSTIFICATIVA DELA É ESSA) DE ONTEM, ONDE AS EMOÇÕES, ALEGRIAS, SURPRESAS SÃO TÃO REAIS E EMOCIONATES COMO UM CHEETOS DE LIMÃO COM BACON E MOSTARDA.

domingo, 24 de fevereiro de 2008

RELIGIÃO vs CIÊNCIA

Movimentos separatistas buscam inspiração em Kosovo 1

SEGUE ABAIXO ANÁLISE SOBRE OS BALCÃS E OUTROS MOVIMENTOS SEPRATISTAS DA EUROPA, PUBLICADA NO DER SPIEGEL (JORNAL ALEMÃO) E NO UOL.COM.BR, DE ONDE SAMPLIEI, ADICIONEI AS IMAGENS E MAPAS E SEPAREI OS TÓPICOS NA TENTATIVA DE FACILITAR A LEITURA.


POR Stephan Orth, Nadine Michel e Maike Jansen

Kosovo está se transformando em uma enorme fonte de conflito, tanto nos Bálcãs quanto pela Europa. Seis países membros da UE são contrários ao reconhecimento da independência de Kosovo, pois temem que poderia levar a problemas com suas próprias minorias étnicas

Kosovo está se transformando em uma enorme fonte de conflito, tanto nos Bálcãs quanto pela Europa. Seis países membros da UE são contrários ao reconhecimento da independência de Kosovo, pois temem que poderia levar a problemas com suas próprias minorias étnicasProvavelmente foi o dia mais importante do mandato do primeiro-ministro de Kosovo, Hashim Thaci.

Após emitir a declaração de independência do novo país no domingo, Thaci anunciou na capital, Pristina, que seu país agora é um membro oficial da "família européia".Mas na empolgação do momento histórico, provavelmente não ocorreu a ele que se trata de uma família um tanto mal humorada e dividida. Apenas poucas horas depois, a falta de unanimidade na Europa no reconhecimento de Kosovo revelou como a Europa ainda é uma entidade heterogênea.Isso também colocou em dúvida se uma Europa dividida algum dia será capaz de conduzir uma política externa comum eficaz.

A Sérvia retirou seus embaixadores da Alemanha e da Áustria na quarta-feira, após Berlim e Viena terem reconhecido Kosovo como país independente. Então, na quinta-feira, manifestantes sérvios causaram tumulto em Belgrado, incendiando a embaixada americana.

Enquanto Dinamarca, França e Reino Unido adotaram posição semelhante em relação à independência de Kosovo, os países da União Européia (UE) que enfrentam conflitos próprios com minorias se opuseram a secessão de Kosovo da Sérvia. Eles temem que seus grupos separatistas possam optar por copiar os desdobramentos nos Bálcãs.Mas quais são estes conflitos e por que a solução deles têm se mostrado tão difícil? A "Spiegel Online" traçou um perfil de seis países que se recusam a seguir a linha da UE.

Tradução: George El Khouri Andolfato

Movimentos separatistas buscam inspiração em Kosovo 2 – Espanha: os bascos e os catalães

POR Stephan Orth, Nadine Michel e Maike Jansen

O governo central espanhol em Madri teme que os separatistas bascos possam ver a declaração de independência de Kosovo como um precedente e um novo estímulo para sua causa. Portanto, não causa surpresa a Espanha ter sido um dos primeiros países da UE a anunciar que não reconheceria a independência da pequena província sérvia.No início de 2008, a organização terrorista basca ETA anunciou que planejaria suas futuras ações de acordo com a situação em Kosovo. A meta do ETA é libertar a região do País Basco do que chama de "ocupação" espanhola e estabelecer um país basco socialista.


Ele surgiu em 1959 como um grupo militar de resistência contra o ditador espanhol Francisco Franco, que proibiu o uso da língua basca e fez tudo o que estava a seu poder para reprimir a minoria basca. Atualmente há 3 milhões de bascos, 2,5 milhões deles vivendo na região basca do norte da Espanha e o restante na ponta sudoeste da França. Mas o conflito transcorre principalmente em solo espanhol.Em 1979, após o fim da ditadura de Franco, os bascos receberam uma autonomia substancial. Mas isso não bastou para o ETA, que continua lutando por independência plena usando atentados a bomba e campanhas de intimidação como suas ferramentas preferidas. A luta do grupo já custou mais de 800 vidas.


Outra minoria na Espanha, os catalães, também querem mais do que a autonomia que receberam em 1978. Cerca de 7,2 milhões de pessoas vivem na região catalã no nordeste da Espanha, que conta com a economia mais forte do país. A Catalunha conta com status autônomo desde o século 18. Não faz muito tempo que Josep-Lluís Carod-Rovira, chefe do partido Esquerda Republicana e o vice do presidente regional Jose Montilla, exigiu um referendo para a independência em 2014.


Mas a diferença entre o País Basco e a Catalunha, de um lado, e Kosovo, do outro, é que estas regiões, apesar de seus esforços contínuos para conquistar a independência, já desfrutam de direitos substanciais de autonomia.Em Madri, a decisão do governo de não reconhecer Kosovo também poderá afetar a política doméstica -eleições gerais ocorrerão na Espanha em 9 de março.
Tradução: George El Khouri Andolfato

Movimentos separatistas buscam inspiração em Kosovo 3– Chipre: os cipriotas turcos

POR Stephan Orth, Nadine Michel e Maike Jansen

Enquanto Kosovo comemorava a independência no domingo, o mesmo dia trazia nova esperança de reunificação para Chipre. Na parte sul grega da ilha, o presidente Tassos Papadopoulos, cuja política isolacionista comprometeu seriamente as relações com os cipriotas turcos no norte e com a UE, não conseguiu passar para o segundo turno das eleições. Os candidatos ainda na disputa indicaram disposição de retomar as negociações com os cipriotas turcos, aumentando as esperanças de uma reunificação.
Os dois grupos étnicos da ilha ensolarada estão separados desde 1974. Em 1983, a parte norte da ilha, predominantemente turca, se declarou um Estado independente, a chamada República Turca do Norte de Chipre. Mas a Turquia é o único país que a reconhece.A parte sul cipriota grega, onde vivem três quartos dos cerca de 1 milhão de habitantes da ilha, é conhecida como República de Chipre e é membro da UE desde 2004. Atravessar a fronteira ficou mais fácil desde então, mas ainda não há contatos diretos entre os grupos étnicos.

Uma cerca de arame farpado marca a fronteira entre o norte e sul de Chipre. Tropas da ONU monitoram a fronteira.Em 2004, uma tentativa do então secretário-geral da ONU, Kofi Annan, de conseguir a reunificação por meio de um referendo, fracassou quando a maioria dos cipriotas gregos votou contra. A Turquia tem interesse especial em um Chipre unificado, porque representaria um marco na estrada para seu próprio ingresso na UE.Um segundo turno no próximo domingo decidirá quem será o próximo presidente: Dimitris Christofias, o presidente de 61 anos do partido comunista Akel, ou o conservador Ioannis Kasoulidis, 59 anos.

Apesar de Christofias ser um dos poucos políticos gregos respeitados no norte, os eleitores consideram Kasoulidis, um membro do Parlamento Europeu, como sendo mais capaz de melhorar o relacionamento complicado do país com a UE. Mas independente de quem vença a eleição, reunir as partes conflitantes permanecerá tremendamente difícil. Os cipriotas turcos, que votaram pela reunificação em 2004, estão decepcionados, porque sentem que nunca foram recompensados pela sua disposição em ceder na época.Esta desafio poderia reforçar uma tendência de imitar Kosovo e buscar o reconhecimento público da independência do norte. A mudança no governo poderá vir no momento certo, podendo ajudar a impedir isto.


Tradução: George El Khouri Andolfato

Movimentos separatistas buscam inspiração em Kosovo 4 – Romênia: os magiares em SzékelyPOR

Stephan Orth, Nadine Michel e Maike Jansen

"A independência de Kosovo é um precedente que todos os países da UE com minorias étnicas deveriam buscar", disse Béla Markó, o presidente da União Democrática dos Húngaros na Romênia (UDMR).Suas palavras apenas confirmaram os temores do governo romeno de que a minoria húngara de seu país poderia ver os desdobramentos em Kosovo como um modelo para seus próprios esforços pela independência. Em uma sessão especial, o Parlamento romeno votou por 357 votos contra 27 pelo não reconhecimento da independência de Kosovo. O presidente da Romênia, Traian Basescu, até mesmo caracterizou a declaração de independência de Kosovo como sendo ilegal.A Romênia, um país de 22 milhões, possui minorias de 1,4 milhão de húngaros, ou magiares, e centenas de milhares de ciganos.

A minoria húngara é grande o bastante para assegurar que ultrapasse regularmente a barreira de 5% necessária para garantir cadeiras nas eleições parlamentares. Nas primeiras eleições desde que a Romênia ingressou na UE, em janeiro de 2007, a UDMR conquistou 6,2% dos votos, assegurando cadeiras no Parlamento Europeu.A UDMR exigiu a remoção do termo "país unificado" da Constituição romena, faz campanhas para melhores escolas para os cidadãos de etnia húngara e exige que o governo devolva os tesouros religiosos húngaros que foram confiscados em 1918.

Um braço mais radical da UDMR, a União dos Cidadãos Húngaros, formada em 2004, está pressionando por relações mais estreitas com a Hungria e por uma autonomia de Székely, uma região no leste da Transilvânia e que é lar de cerca de 700 mil húngaros. O território é o coração cultural dos magiares da Romênia; em algumas cidades, mais de 90% dos moradores falam húngaro. Székely já foi uma região autônoma, entre 1952 e 1968, e partes da Transilvânia pertenceram à Hungria até 1920.

Mas mesmo se a minoria húngara intensificar a pressão pela separação, o fato de 90% do Parlamento romeno ter votado pelo não reconhecimento de Kosovo sugere fortemente que ele também se opõe a um território autônomo na Transilvânia.Tradução: George El Khouri Andolfato

Movimentos separatistas buscam inspiração em Kosovo 5 – Bulgária: os pomaks muçulmanos

POR Stephan Orth, Nadine Michel e Maike Jansen


Antes mesmo de Kosovo declarar a independência, o presidente búlgaro Georgy Parvanov deixou uma coisa clara: sem uma posição unificada dentro da UE, seu país não reconheceria a independência de Kosovo. Apenas se pudesse ser garantida a proteção dos direitos humanos no novo país dos Bálcãs e a implantação do plano de Ahtisaari, a Bulgária consideraria estabelecer relações diplomáticas com Kosovo, disse Parvanov.A hesitação de Parvanov tem muito a ver com a situação em seu próprio país. Ao se separar da Sérvia, Kosovo e sua maioria de etnia albanesa poderia encorajar a minoria turca da Bulgária a fazer o mesmo.
Cerca de 700 mil turcos vivem na Bulgária e até mesmo são maioria em muitas cidades e regiões no norte do país.No sul da Bulgária, há cerca de 200 mil pomaks muçulmanos de origem eslava, que são representados no Parlamento búlgaro pelo partido Movimento pelos Direitos e Liberdades -mas mesmo assim não são reconhecidos como minoria étnica na Constituição búlgara. Após muitos anos de opressão e deslocamento -mais recentemente sob o governo comunista- muitos imigraram para a Turquia, enquanto aqueles que ficaram para trás freqüentemente vivem em pobreza abjeta.

Mesmo antes da Bulgária ingressar na UE, havia esforços para conceder mais direitos para a minoria. Um grupo há muito pede pela introdução do turco como segunda língua oficial e pela criação de universidade nacional turca.Estas exigências poderiam se transformar em violência? O ministro das Relações Exteriores da Bulgária, Ivailo Kalfin, alertou contra a ameaça de um ascensão de grupos separatistas, apesar de se referir a toda a região dos Bálcãs.

A independência de Kosovo, ele disse, desestabilizaria a situação na região e poderia provocar uma volta da violência. É claro, essa violência também poderia afetar a Bulgária, na condição de país vizinho.Mas outros motivos também poderiam estar por trás da hesitação do governo búlgaro em Kosovo. Como a Rússia já deixou claro que não reconhecerá a independência de Kosovo, o presidente búlgaro estava ansioso em evitar receber um tapa na cara da "mão pesada do Kremlin", como colocou o jornal búlgaro "Dnevnik".

Tradução: George El Khouri Andolfato

Movimentos separatistas buscam inspiração em Kosovo 6 – Grécia: os turcos da Trácia Ocidental

POR Stephan Orth, Nadine Michel e Maike Jansen

Dora Bakoyannis, a ministra das Relações Exteriores grega, também alertou que Kosovo poderia se tornar um "precedente" para a Europa, e que sua declaração de independência poderia enviar um sinal para as minorias étnicas em muitos países europeus. Se a UE reconhecer a secessão de um grupo étnico, argumentou Bakoyannis, talvez tenha que fazê-lo repetidas vezes no futuro.Até a Primeira Guerra nos Bálcãs de 1912-1913, a região da Trácia Ocidental, no nordeste da Grécia, fazia parte do Império Otomano, mas grande parte dela estava sob controle búlgaro.
Após os esforços fracassados para formação de um Governo Provisório da Trácia Ocidental, a região foi para a Bulgária em 1913 -mas não por muito tempo. Após a Primeira Guerra Mundial, o equilíbrio de poder mudou de novo e a Trácia Ocidental foi transferida aos poderes da Tríplice Entente do Reino Unido, França e Rússia. Segundo o Tratado de Sèvres, a região foi finalmente cedida à Grécia em 1920.Mas o que aconteceu aos muitos habitantes de língua turca da Trácia Ocidental? Eles receberam direitos especiais de minoria sob o Tratado de Lausanne, assinado três anos depois.

Como resultado, as aulas nas escolas da Trácia ainda eram ministradas em turco e os moradores do enclave contavam com proteção especial. Apesar desses direitos especiais, há tensões na região, e os trácios turcos se tornaram um popular peão diplomático nas negociações com Istambul.Mesmo que a secessão de Kosovo dificilmente cause tensões em seu país, os gregos vêem os Bálcãs com preocupação. Como vizinhos diretos, eles também seriam afetados por um novo conflito.


Tradução: George El Khouri Andolfato

Movimentos separatistas buscam inspiração em Kosovo 7 – Eslováquia: a minoria húngara

POR Stephan Orth, Nadine Michel e Maike Jansen

Por anos, os populistas eslovacos investiram contra os eslovacos de língua húngara em seu país. O principal deles é Ján Slota, o líder do Partido Nacional Eslovaco (SNS), que, com seus comentários racistas sobre a minoria húngara, conseguiu se tornar um dos políticos mais populares do país. Slota gosta de fazer declarações polarizadoras como: "Os húngaros são um câncer no corpo da nação eslovaca".
Os húngaros étnicos representam cerca de 10% da população eslovaca, vivendo predominantemente no sul do país. A fronteira não oficial entre os eslovacos e os húngaros, que ainda existe até certo ponto atualmente, foi empurrada para o norte nos séculos 16 e 17, quando os turcos ocuparam o que atualmente é a Hungria. Na época, muitos húngaros se mudaram para as cidades de Bratislava, Trnava, Kosice e Krupina.


O Partido da Coalizão Húngara representa politicamente os cidadãos de etnia húngara. Até a mudança do governo em 2006, o partido contava com representação no governo. Novas tensões surgiram desde que perdeu poder.No todo, os grupos étnicos na Eslováquia, incluindo muitos ciganos, vivem em relativa paz uns com os outros. Todavia, periodicamente surgem disputas. A educação é um dos pontos de desentendimento.

Com seu plano de imprimir apenas os nomes eslovacos das cidades nos livros escolares, o governo de coalizão, composto pelo partido social-democrata Smer, do nacionalista SNS e do populista Movimento por uma Eslováquia Democrática, sofreu fortes críticas dos húngaros.Agora a Eslováquia teme que sua minoria húngara possa se rebelar novamente. Kosovo poderia renovar os esforços para assegurar a independência da população húngara da Eslováquia -ou mesmo encorajá-la a buscar uma união com a Hungria ao sul.

Tradução: George El Khouri Andolfato

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

O FREVO E A GUERRA. É TUDO NOSSO!

O frevo mo mundo é um disco sensacional por vários motivos, as tentativas de recriar o fervo são pra mim o melhor deles! Segue abaixo a resenha do Bruno Nogueira, que achei no ótimo blog Som Barato!
Como a tentativa do cd é recriar e mostrar as novas possibilidades do frevo na música pop-global-local, coloco algumas fotos minhas onde tento mostrar um recife global e local ao mesmo tempo, e o menos óbvio possível! Guerrear contra o medo, assaltando bunitezas das ruas, é uma coisa que só faz bem as idéias, a cidade e ao coletivo que somos, mesmo que sejamos grades muros e cimento!

Ego trip de leve!
Bom final de semana!

Resenha:
O discurso e a vontade de renovar o frevo anda tão cansado que ele próprio já precisa ser renovado. As várias tentativas sem sucesso que marcaram o centenário do ritmo ano passado chegaram a criar uma camada de resistência contra artistas que, no fim, procuraram apenas se promover com o momento. O que acabou como um tiro pela culatra - resultando na total invasão das escolas de samba deste ano - só soma em motivos para “Frevo do Mundo” ser certamente o lançamento mais relevante da música de Carnaval em 2008.
Produção da Candeeiro Records, selecionado pelo Programa Petrobras Cultural, ele bem que poderia estampar na capa o nome do time de artistas reunidos para imprimir sua visão sobre o frevo. Mas, com encarte modesto e de bela arte de Valentina Trajano, ele deixa a surpresa como elemento fundamental para quem, por acaso ou intencionalmente, passar o ouvido por alguma das 14 faixas do repertório. É o tradicional frevo de Capiba, Luiz Bandeira e Aldemar Paiva, apresentados pela Orquestra Imperial, Mundo Livre S/A, Eddie, China, Siba e a Fuloresta, Erasto Vasconcelos, Edu Lobo, João Donato, Isaar, Cordel do Fogo Encantado, 3 na Massa, Flor de Cactus e a Orquestra Popular da Bomba do Hemetério (OPBH).
A modéstia faz parte da fórmula de sucesso do disco. Esteticamente é puro frevo e alguns dos arranjos sequer foram alterados. Mas cada um dos artistas o executou da forma que costumam fazer naturalmente em suas músicas autorais. Alguns resultados sequer soam diferentes, como o “Cabelo de Fogo”, da OPBH, que ganha um divertido trecho “a capella”; mas outros soam totalmente renovados, com fôlego contemporâneo que dá gosto de ouvir mesmo fora de época. Caso de “Oh, Bela!”, em versão minimalista por China e Sunga Trio (Chiquinho e Felipe S, do Mombojó, com Homero Basílio) e “Os Melhores dias da Minha Vida” com Siba, Biu Roque e os comparsas da Fuloresta.
O projeto tem produção do baterista da Nação Zumbi, Pupillo, mas a forma de gravação foi não-linear, com os músicos convidados gravando em estúdios diferentes. Esse modelo de quebra-cabeça acaba dando ao formato canção uma importância superior ao conceito de álbum. Funciona bem como conjunto, mas também e principalmente nas faixas como experiência individual. Pincelada do restante, a voz de Céu em “Frevo da Saudade” com os 3 na Massa traz uma elegância que, por exemplo, não é percebida na versão rápida e festiva de “É de Fazer Chorar” tocada pela banda Eddie. São dois momentos distintos, apenas sob um mesmo mote. Ela encontra par igual em Isaar de França com “Páraquedista”, enquanto eles combinam com “Só presta Quente”, em versão de Ortinho.
Presente em praticamente todas as faixas, o maestro Spok serviu como fio condutor entre artistas tradicionais como Erasto em “Papel Crepon” e mais novos, no já citado exemplo de China. Responsabilidade que ele assume sem exagerar nos metais de todas as músicas, como se fosse um supervisor, representante do frevo, garantindo que tudo saia como adequado. Cuidado que ele descarrega nas instrumentais “Fogão”, de João Donato e em “Cabelo de Fogo”. Essas duas, com a versão mais distinta de “Isquenta Muié”, com a Flor de Cactus, completam o “Frevo do Mundo”.
Bruno Nogueira

Frevo do mundo [2008] – baixe aqui!
01-Eddie - é de fazer chorar
02-João Donato - fogão
03-Céu e 3 na Massa -frevo da saudade
04-Mundo Livre SA - metendo antraz
05-Orquestra Imperial - o dia vem raiando
06-China e Sunga Trio - Oh, bela!
07-Ortinho - só presta quente
08-Siba e a Fuloresta - os melhores dias de minha vida
09-Cordel do Fogo Encantado - saudade
10-Isaar de França - paraquedista
11-Flor de cactus - inquenta muié
12-Edu Lobo - Recife (frevo n.1)
13-Erasto Vasconcelos - papel crepon
14-Orquestra Popular da Bomba do Hemetério - cabelo de fogo

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

ECLIPSE LUNAR + OUTRO SITE!

EU NÃO VEJO TAAANTA GRAÇA EM ECLIPSES, É LEGAL MAS PREFIRO A TERRA! DE QUALQUER MODO SEGUE O CRONOGRAMA, A LÓGICA, A FONTE E MAIS CONTEUDO PARA VOCÊ ESTUDAR.

Nesta quarta feira 20/02 teremos um eclipse lunar e não será um daqueles parciaisque nos deixam com gostinho de quero mais na boca. Este será um total, bem de“frente” para as Américas. Como assim?


Um eclipse lunar ocorre quando a Lua atravessa a sombra da Terra. Assim o Sol, a Terra e a Lua formam uma reta. Por causa das diferenças entres as inclinações das órbitas da Terra e da Lua é difícil ter um alinhamento perfeito. Esta é a principal razão para não termos um eclipse lunar toda Lua Cheia, ou um eclipse solar toda Lua Nova.

Agora, o alinhamento é quase perfeito e melhor, ele deve ocorrer quando a Lua estiver bem alta para quem estiver nas longitudes das Américas.
Um eclipse lunar total tem duas fases: a penumbral (ou parcial) e a...
(continue lendo aqui, no blog de ASTRONOMIA do G1!!!)

NATUREZA HUMANA - PAISAGEM!

MAIS DO http://autoliniers.blogspot.com!
AS TIRINHAS MAIS BELAS E PESADAS DO MUNDO!

PENÚLTIMA VEZ QUE POSTO ESSE VIDEO!! IMAGENS DO BLOG 07

O ano de 2007 foi bem peculiar em vários e vários aspectos. A luta contra a fobia à pobres que é resultado direto do terrorismo midiático que sempre acusa e resPonsabiliza a maioria dos brasileiros, incitando uns contra os outros e fazendo com que todos temam todos... No meio disso a parte que rouba milhões de cofres públicos se diverte já que a população tem tanto medo, que se mobiliza para pagar o segurança da rua, se proteger do vizinho, mas não faz necas de pitibiriba em relação aos que prejudicam o país contínua e verdadeiramente. Isso não é excluvidade tupiniquim, diga-se.
Outra coisa importante de 07 foi o nascimento do blog e a participação de vários aliados comentaristas e colaboradores.
o video acima é uma coletânea de quase todas as imagens veiculadas no blog no ano passado, com trilha sonora que marcou o ano aqui na redação!

NAÇÃO ZUMBI - INFESTE

Eu venho de todas as partes
Por todas as vias
Trazendo as vontades de todas as crias
Eu sou
Uma couraça pros dias de fúria
Nervos de aço pra cada aventura
Corpo fechado até sua altura
Estou

Costas quentes
Dentes acesos
Olhos de espelho
Cabeça de leão
Lançando o perigo na ponta do enfeite
Estica o caminho quem manda no chão

Costas quentes
Dentes acesos
Olhos de espelho
Cabeça de leão
Livrando o perigo na ponta do enfeite
Estica o caminho quem manda no chão

Já que fui ontem
Estarei no amanhã
Brincando de outra pessoa
Invadindo outro mundo
Eu vou
Eu vou

SEPARADOS AO NASCER (repostagem)

celulares e peixes, todos mortos!

MAIS FIDEL?


CLÓVIS ROSSI - FOLHA DE SÃO PAULO
crossi@uol.com.br

O "pop star" se aposenta


Por Fidel Castro ser o mais longevo dos governantes do planeta, tudo o que se poderia dizer sobre ele já foi dito, de bom ou de ruim. De ditador a "benefactor", de herói a bandido, com todos os matizes intermediários, todos os rótulos já lhe foram aplicados. Resta-me uma perplexidade: como o líder de uma pequena ilha, praticante de um modelo que caiu em desuso, conseguiu manter-se, ainda assim, como um "pop star"? Conto o episódio que me aguçou essa perplexidade. Em 1997, comemorava-se, em Genebra (Suíça), o 50º aniversário do Gatt (o Acordo Geral sobre Tarifas e Comércio, substituído pela Organização Mundial do Comércio).

A Genebra acudiram os suspeitos de sempre: chefes de Estado e chefes de governo, autoridades dos mais diversos calibres, diplomatas em cachos e os indefectíveis seguranças, "aspones" e jornalistas que acompanhamos esse tipo de circo (sem nenhum desrespeito ao circo de verdade ou ao circo do "grand monde" planetário). Os suspeitos de sempre proferiram os discursos de sempre, enquanto a maior parte da "asponeria", dos jornalistas e dos funcionários não tão graduados ficávamos na cafeteria no subsolo do Palácio das Nações.

Ninguém prestava atenção à discurseira, até que o mestre de cerimônias anuncia Fidel Alejandro Castro Ruz. O bruaaá das conversas é suplantado pelo arrastar de cadeiras na direção dos telões que transmitiam a cerimônia. Feito o silêncio, na cafeteria e um andar acima, Fidel Castro abre o discurso com "la vida es sueño, y los sueños, sueños son", um Calderón de la Barca que parecia profano naquele ambiente.

Ao terminar, uma chuva de aplausos, inclusive de seus pares, 101% dos quais não tinham nem nunca tiveram nenhum parentesco e/ou simpatia com o comunismo. Difícil entender o que aconteceu ali.
------------
nota do blog

VOCÊS SABEM BEM O QUANTO CHE VENDE NO MUNDO, UMA MARCA FORTE E CERTAMENTE VENDÁVEL. MAS O QUANTOS DE SEUS CONSUMIDORES TEM LINHA COERENTE COM O PRODUTO IDEOLÓGICOS?

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

100% HITCHCOCK

E O BICHO PENSA:

O FIDEL MORREU?

DESCEU?

CAIU?



E AGORA?

FIDEL!

Ouvi agora de manhã que Fidel não mais governará cuba!

Infelizmente, agora não há tempo para comentar, mas leia aqui no jornal cubano Granma, em português; aqui no El País (jornal espanhol) e aqui no NY Times (in fucking english).

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

SEPULTURA EXPLICA A GUERRA!

sepultura -territory

VERSÃO ALEMÃ DA GUERRA EM KOSOVO 1999

OS ALEMÃES PARTICIPARAM DE MANEIRA SIGNIFICATIVA DO EXÉRCITO CONTRA A SÉRVIA E PRÓ KOSOVO!!

ESSE VIDEO É DE UM EX SOLDADO, QUE TEM UMA VISÃO UM TANTO PECULIAR DO CONFLITO, PRINCIPALMENTE PELA BELEZA DA TRILHA SONORA!

Kosovo - a balcanização da Europa?

ESSE VIDEO É DA TV PORTUGUESA, FEITO AGORA EM FEVEREIRO!
UM BOM CAMINHO PARA COMEÇAR, REPITO, COMEÇAR A ESTUDAR O ASSUNTO!

Mesmice Pseudo popular Brasileira

SEMPRE SONHEI COM ISSO!!

DO CADA VEZ MELHOR http://talktohimselfshow.zip.net/

COLUNA DO ÁLVARO

Escuta aqui>>
Álvaro Pereira Júniorcby2k@uol.com.br


O mundo (nem tão) novo de Mallu Magalhães
A GENTE já vai falar da moça do título acima. Antes, quero lembrar de um caso francês, de 1955: o da poeta de oito anos de idade, Minou Drouet.

Minou virou fenômeno quando poemas atribuídos a ela começaram a circular entre jornalistas e críticos. Era esperteza de um editor, Rene Julliard, que conhecera Minou por uma amiga que ensinava piano à criança. Julliard plantou notícias em jornais, soltou os tais poemas para alguns poucos e bons. Quando veio o livro, o agito já estava criado. Ainda não havia internet, mas já existia "hype".

Você já deve saber que Mallu Magalhães, 15, é o novo fenômeno num certo segmento da internet brasileira. E, coisa rara nesse universinho, Mallu parece ser realmente talentosa. Pelo menos é a impressão que deixam dois vídeos em que ela se acompanha ao violão, disponíveis em myspace.com/mallu magalhaes, e uma canção que dá para ouvir no mesmo endereço, "Tchubaruba".

Costuma ser zero minha paciência para esses "hypes" que copiam a mania inglesa de lançar gente cada mais jovem, para brilhar cada vez mais, e ser esquecida cada vez mais cedo. Mas, não sei por quê, fui conferir a página da Mallu no MySpace. E de lá não saí até agora.

A primeira constatação é que ela não é um prodígio técnico como, sei lá, Niccolò Paganini, que aos nove anos assombrava Gênova tocando seu violino alucinado na principal orquestra da região. Mallu manda mais ou menos no violão, além de fazer e cantar suas letras num inglês ainda fraco. O violão, ela praticamente só usa para marcar o ritmo -e se atrapalha quando tenta florear. No inglês, dá várias mancadas (a pior é dizer "chailofones", e não "zailofones", como seria certo, logo na primeira palavra da canção "Xylophones").

Mas Mallu compensa os vacilos com muita inteligência e senso melódico. A gramática pode ser duvidosa, alguns trechos, confusos, mas e daí, se compõe versos tão bonitos como esses de sua única música em português, "Vanguart": "Ah! Se eu fizesse alguma diferença/ Se eu curasse alguma doença/ Com uma força genial"?

Mallu é menina sensível e talentosa. Como existiram tantas meninas sensíveis e talentosas, ao longo dos séculos, que nem sonhavam com YouTube e MySpace.Minou, a poeta prodígio da França, tinha nove anos quando uma revista a acusou de fraude (os versos seriam escritos pela mãe). Não fez carreira adulta e hoje vive reclusa num vilarejo. Mallu não parece ser uma fraude, mas, como Minou, já tem o peso do mundo -ou de um mundinho- nos ombros. Bonne chance.

MAIS KOSOVO, MAIS SÉRVIA E MAIS PROBLEMAS... OU SOLUÇÕES?

Sérvios rejeitam decisão unilateral e atacam os EUA

DA FOLHA DE SP

Nacionalistas saíram às ruas das principais cidades da Sérvia para protestar contra a declaração de independência de Kosovo, território onde os eslavos travaram importantes batalhas contra o império Otomano e que consideram o coração do país. Conflitos entre manifestantes a agentes de segurança deixaram pelo menos 30 feridos, 15 deles policiais.


Discursos enfáticos do presidente Boris Tadic e do premiê Vojislav Kostunica, dirigidos ao público interno, condenaram a declaração unilateral de independência -que, afirmam, a Sérvia jamais aceitará. Os discursos, transmitidos pela TV, não foram suficientes para aplacar a fúria dos grupos nacionalistas com o que consideram uma fraqueza do governo.


A secessão favorece politicamente os nacionalistas e enfraquece Kostunica, eleito com uma plataforma pró-União Européia. Detalhes do "plano secreto" que a Sérvia diz ter para lidar com a a independência permanecem obscuros.


Apesar do discurso grandiloqüente, governo reiterou apenas que pedirá aos organismos internacionais que anulem o ato e ameaçou rebaixar o status das missões diplomáticas no país daquelas nações que reconhecerem o novo Estado.


Em Belgrado, principal cenário dos conflitos, os manifestantes atiraram pedras e coquetéis caseiros contra a Embaixada dos EUA, enquanto entoavam canções nacionalistas. A polícia, que formava um cordão de isolamento em torno do prédio, precisou pedir reforços.


A tropa de choque usou balas de borrachas e bombas de gás lacrimogêneo contra os jovens nacionalistas, que depredaram semáforos e carros estacionados nas proximidades do prédio. Veículos pertencentes à Embaixada do Brasil também foram destruídos na confusão.


Apesar da proteção policial à embaixada, alvo previsível de ataques, o governo sérvio também adotou um atitude dura contra os EUA. Evitando críticas contundentes à UE, apesar da intenção declarada de países como a França e o Reino Unido de reconhecerem a independência kosovar, Kostunica preferiu centrar fogo em Washington. O nome do presidente George W. Bush, afirmou o premiê, entrará para a história da Sérvia "em letras negras".


Os manifestantes quebraram uma câmera da equipe da TV pública sérvia e agrediram funcionários de outras duas redes televisivas que filmavam os protestos.


Dispersada pelos agentes de segurança, a manifestação se dividiu. Alguns dos nacionalistas se dirigiram para a Embaixada da Eslovênia, ex-república iugoslava que ocupa atualmente a Presidência rotativa da UE. O grupo entrou no prédio da delegação, quebrou vidros e rasgou bandeiras do país e do bloco europeu.

Presente aos albaneses


Simo Spasic, presidente de uma associação de sérvios desaparecidos em Kosovo e um dos líderes do protesto, disse tratar-se de uma manifestação "espontânea" da revolta com os EUA, que "deram um Estado aos albaneses".


Os ativistas criticavam também a não-reação militar do governo à independência unilateral da Província. "Kostunica, cometa suicídio e salve a Sérvia", dizia um dos cartazes. Entre bandeiras sérvias e placas de "não entregamos Kosovo", viam-se lemas agressivos: "Mata, degola, para que não sobre nenhum shiptar [nome depreciativo para albaneses]".


Houve protestos também em Novi Sad, segunda maior cidade do país. Centenas de pessoas depredaram uma lanchonete de rede americana McDonalds em um ato contra a independência kosovar.

domingo, 17 de fevereiro de 2008

BALCÃS


O começo do fim dos Bálcãs
JEAN-ARNAULT DÉRENSDO
"MONDE DIPLOMATIQUE"




A declaração de independência de Kosovo [prevista para hoje ou amanhã] terá conseqüências sérias para toda a região. Os sérvios da Bósnia-Herzegóvina enxergarão o acontecimento como precedente que confirma seu próprio direito de separar-se. A independência também vai provocar inquietude em Estados vizinhos, especialmente Macedônia e Montenegro, e terá efeito caótico sobre o mapa dos Bálcãs.

(mapa da região dos BALCÃS)



Apesar dessa perspectiva, diplomatas e especialistas sugerem que já chegou a hora de derrubar o tabu das fronteiras intocáveis. Será que chegou a hora de definir fronteiras mais representativas da geografia étnica? A idéia não é nova, mas se nega a ser descartada.


A impossibilidade de uma solução conciliatória entre albaneses e sérvios sobre Kosovo fez ressuscitar idéias antigas sobre uma divisão da região. A idéia parece lógica: se as populações não querem viver juntas, por que não deixá-las viver separadamente, mesmo que implique deslocamentos de pessoas de modo a ajustar as fronteiras à distribuição étnica? A grande confusão Imagine-se que uma conferência internacional chegasse a um acordo sobre novas fronteiras nos Bálcãs ocidentais, definidas segundo critérios étnicos. Seriam necessários planos para unir as áreas com maioria albanesa: Albânia, Kosovo e a parte noroeste da Macedônia, além do vale do Presevo, no sul da Sérvia, e as margens orientais de Montenegro.



Isso deixaria a Macedônia truncada e quase irreconhecível como Estado. Restaria, então, a questão das minorias na Albânia: os gregos, no sul, poderiam reivindicar sua inclusão na Grécia, enquanto os albaneses expulsos de Épiro, no norte da Grécia, após 1945, se levantariam para defender seus direitos esquecidos. Os sérvios da Bósnia-Herzegóvina retornariam a seu país natal. Isso destruiria a Bósnia, especialmente se os croatas do oeste de Herzegóvina e da Bósnia central retornassem à Croácia. Restaria um micro-Estado bósnio-muçulmano.



(KOSOVO e vizinhos)

A Sérvia teria conquistado a Republika Srpska, da Bósnia-Herzegóvina, além das áreas sérvias no norte de Montenegro. Além disso, teria um acordo com Vojvodina. Essa região autônoma no norte da Sérvia abriga cerca de 20 minorias, quase 50% da população total.


Sua maior comunidade é húngara, e voltaria para a Hungria, a não ser que Vojvodina decidisse declarar sua independência e se tornasse a única ilha multiétnica nos Bálcãs. É pouco provável que tais transformações se dessem de modo pacífico. Seriam necessárias tropas da UE encarregadas de manter a paz. Mas o deslocamento de populações não poderia ser visto como efeito indesejável, pois seria o objetivo de toda a movimentação. A grande ilusão
Esse cenário pode parecer altamente improvável, mas partes do roteiro já foram escritas, no que diz respeito às questões ligadas à Bósnia-Herzegóvina e à nacionalidade albanesa. A idéia de que problemas de nacionalidade possam ser resolvidos com a reorganização de fronteiras é baseada na ilusão de que as fronteiras podem ser redefinidas com precisão segundo linhas étnicas. Todas as fronteiras nacionais são criações históricas, legado de manobras políticas e militares.


O uso do termo "Bálcãs" se difundiu no século 19. Quando o Império Otomano começou a se fragmentar, as reivindicações inconciliáveis de suas populações antes súditas abalaram essa região da Europa. Os Bálcãs passaram a ser vistos como sinônimo de sentimento nacionalista, transtornos e fragmentação -em outras palavras, a "balcanização".


A emergência de Estados e a definição de suas fronteiras marcaram a entrada dos Bálcãs na política moderna. Os novos Estados eram, de modo geral, nacionalistas, baseados nos modelos fornecidos pela história da Europa Ocidental. A diversidade que caracterizara a era otomana, as identidades múltiplas de língua, "nacionalidade" e religião, começou a perder força.


As fronteiras internas traçadas em 1945 para a República Federal Socialista da Iugoslávia foram a menos negativa de todas as soluções conciliatórias, segundo o político que foi o responsável principal por elas, o dissidente Milovan Djilas, nascido em Montenegro. O sistema dependia da manutenção de uma distinção clara entre cidadania e nacionalidade e tinha suas origens no pensamento marxista austríaco. Os iugoslavos eram cidadãos da república federal em que viviam (e também da Federação Socialista), mas permaneciam livres para escolher sua comunidade nacional: não havia obrigação no recenseamento iugoslavo.

(mapa da antiga YUGUSLÁVIA)


A experiência dos Bálcãs mostra que as reivindicações de populações diferentes não podem ser apresentadas em termos de Estados sem causar confrontos. Em Kosovo só existem duas soluções possíveis: ou a vitória de uma população sobre a outra, suscitando frustrações e buscas de vingança, ou a invenção de novas formas de coexistência e co-soberania política. O contexto europeu poderia gerar novas oportunidades políticas capazes de superar esses conflitos territoriais.



As grandes potências sempre exerceram papel essencial na determinação das fronteiras nos Bálcãs. Hoje Kosovo é um peão na batalha planetária entre Rússia e Estados Unidos, de modo que pouca atenção será dada aos interesses reais dos albaneses, sérvios e outros que vivem em Kosovo. Qualquer tentativa de solucionar os problemas através de novos planos de partilha afetaria a Europa inteira. É tempo de encontrar uma resposta melhor do que traçar novas linhas no mapa.



JEAN-ARNAULT DÉRENS é editor do "Courrier des Balkans"
Tradução de CLARA ALLAIN



NA INTERNET: Leia a íntegra do artigo em www.folha.com.br/080465

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

TEMPO LIVRE?

Não fique entediado nesse final de semana!


vi no http://blogdojuca.blog.uol.com.br/
o mais engraçado é a cara do maluco, sem falar nas inumeráveis horas perdidas!!!!

PARA A SEXTA DEPOIS DA AULA!

Tudo começou quando um grupo de jesuítas, do qual faziam parte José de Anchieta e Manoel da Nóbrega, escalou a Serra do Mar chegando ao planalto de Piratininga, onde encontraram, segundo cartas enviadas a Portugal, "uma terra mui sadia, fresca e de boas águas".
Do ponto de vista da segurança, a localização topográfica de São Paulo era perfeita: situava-se numa colina alta e plana, que facilitava a defesa contra ataques de índios hostis. Nesse lugar, fundaram um colégio em 25 de janeiro de 1554, ao redor do qual se iniciou a construção das primeiras casas de taipa, que dariam origem ao povoado de São Paulo de Piratininga.
Quatrocentos e cinqüenta anos depois, o povoado aumentou consideravelmente.
O colégio foi o marco zero de São Paulo, capital paulista e – queiram ou não – ponta de lança de tudo que vira moda em todo o Brasil, do hip-hop ao crime organizado.São Paulo agüentou bem as invasões indígenas, mas recebeu e/ou foi invadida por povos de todas as partes do mundo. São Paulo não é dos paulistanos, São Paulo é do mundo, São Paulo é babilônia.
No terminal rodoviário do Tietê, na praça da República, no Anhangabaú, a disparidade de línguas, culturas e manias se misturam, num amálgama particular. Semelhante ao das grandes cidades do planeta, mas único porque aqui é o Brasil.Musicalmente, não poderia ser diferente. Por isso, São Paulo, 450 anos, século 21, Tietê, praça da República, Guarapiranga, Zona Leste, Zona Sul, desemboca, se encontra, se traduz num disco, chamado Coleção nacional, do Instituto.
Um disco que não foi todo composto por paulistanos, recheado de nomes que não conhecem as cantinas mais tradicionais do Bexiga, que nunca viram o clássico Juventos x Ipiranga na Rua Javari, mas de que de alguma forma vieram parar na terra do Supla.
Junto, vem gente que cresceu nas ruas mais perigosas do mundo, que passou pelas situações mais extremas, que fala com o coração.É o primeiro disco do século 21 a traduzir o que se vê na música paulistana de hoje em dia, cheio de ramificações, paralelas, que se cruzam no metrô São Bento ou na rua Augusta. Isto posto, disco na orelha, é fácil perceber que um disco desse só poderia mesmo ter sido feito em São Paulo.
Tem samba, rap, dub, maracatu, punk, funk, jazz, Londres, Jamaica, Vila Carrão. É o Tietê, na hora do rush.O Instituto é um núcleo de produção independente – um coletivo – que existe como uma banda, um selo e um site com um programa de rádio semanal, liderado pelo trio Daniel Ganjaman, Rica Amabis e Tejo Damasceno.[fonte da resenha]



Baixe AQUI, vale muito cada bit consumido! (SENHA: ladrolama)

MAIS SITES, MAIS NOTÍCIAS (REPOSTAGEM)




Alguns jornais importantes do mundo estão abrindo seus conteúdos nos sites. El País seguiu os passos do NY Times ao perceber que o fluxo de pessoas e o tempo de permanência no site rendem mais dólares que o valor da assinaturas.
Para ter fluxo de pessoas é necessário credibilidade e nome, coisa que ambos tem. O conteúdo garante a permanência.
De qualquer modo treine seu espanhol e/ou inglês com noticias vindas de dentro do furacão!

A fonte de tudo foi o blog do Tiago Dória.