sábado, 26 de abril de 2008

DESCONTROLE REMOTO

Nesse final de samana, em SP, está rolando mais uma virada cultural onde várias couves acontecem ao mesmo tempo na megalópole. Se você quiser passra vontade, veja AQUI a programação oficial.

Mas no ano passado uma das principais atrações foi acusada de instigar a desobediência civil ou o nome que você quiser. Durante a apresentação de um grupo representativo da cultura jovem e periférica do mundo, parte de seus fãs subiram em bancas de jornais e criaram um grande problema com a polícia.

Antes de mais nada, lembre-se que é uma cidade de 20 milhões de habitantes oferecendo shows gratuitos durante a madrugada num país subdesenvolvido e só por isso já é muito legal.

O caso dos caras que desobedeceram a lei e subiram em cima de uma banca de jornal (propriedade privada, legítima) para ver o show dos racionais mcs gerou um furor da mídia que como sempre usou o DESCONTROLE REMOTO para mostrar ao mundo como culturas jovens são sinistras e perigosas.

Nem vou julgar o quão toscos foram os comentários sobre o ocorrido, mas acredite que a minha avó teve certeza de que esses rappers são uns marginais.

Não há como ter uma visão mais obtusa do assunto!

Em um show com milhares de pessoas, em um evento com milhões de pessoas ocorreu um único distúrbio (claro, o ideal é distúrbio nenhum), mas a noticia qual foi?

A cultura dos jovens pobres de periferia é um terror!
Eles não servem!
É por isso que o Brasil vai mal!
Etc....

Nem vou linkar, mas se você tem curiosidade de ler a respeito, procure no google!

Okok, aqui vai um link que mostra o tom de descontrole e descrença em relação aos jovens baderneiros, e note como há um tentativa de relacionar os racionais a tal violência e como se elas tivessem nascido simplesmente do descontrole do público.

Mais um exemplo do descontrole remoto!

Não basta a noticia, o que vale é o drama, o culpado e o desmerecimento da cultura jovem, pobre, de periferia que abala o chão mas ninguém gosta de assumir e assinar em baixo. Entre outras coisas, é uma pregação a imobilidade, ao não envolvimento uma vez que há um claro estímulo ao medo.
O tratamento é idêntico com as torcidas organizadas, movimentos chamados de anti globalização, festas raves , skate, grafitte, jiu jitsu, pit bulls, pichação, punks, .... mesmo tratamento receberam o samba, capoeira, maracatu, côco, cirandas, índios, mst.....

Não há dúvidas que todos esses exemplos carregam problemas diferentes, mas não é o caso de dizer que são só problemas.

Não é questão de defender esse ou aquele, mas a narrativa dos fatos é injusta, preconceituosa e reacionária disfarçada de verdade, com claro intúito de amendrontar e deixa-lo em casa vendo tv, ou na segurança do shopping e suas inacreditáveis mercadorias para a familia toda.

Public enemy - Live Don't belive the Hype

NÃO ACREDITE NESSA MÍDIA/MODA!!


Da época em que o rap nascia, crescia e contaminava crianças como eu.

quinta-feira, 24 de abril de 2008

BLOG NO BLOG DA CHIQUINHA

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR!


É DO BLOG DA CHIQUINHA

DESCONTROLE REMOTO

Li esse título em alguma matéria de jornal que versava sobre a TV Cultura e o mal uso do dinheiro público para com uma programação que quase ninguém vê. O tema do posto não é esse, mas sim o título que o autor esquecido deu.

DESCONTROLE REMOTO

Aproveitando as postagens que o Tarso fez sobre mídia e assuntos expostos nas aulas, vou emendar uma pequena série também.

Amidalite + 39 de febre + preso em casa = vou iniciar a série.

A idéia de descontrole remoto é menção direta a programação televisiva e o controle remoto. Com ele você pode escolher entre várias coisas quase diferentes, entre reality shows, jornais, novelas, futebol, clipes e propagandas. Mas em todos, há coisas em comum, a pregação ao descontrole, a histeria.

Além do caso Isabela, que beira o insuportável, vou outro ocorrido mais divertido, que foi o terremoto no Sudeste, principalmente em SP.

A notícia pura foi um terremoto de 5,2 na escala Richter, o suficiente para rachar a parede de uma casa na Mooca. Claro que a raridade do evento causa furor, mas o curioso foi a tentativa dos jornais em fazer e criar dramas.
Vi mais de quatro reportagens onde foram entrevistadas pessoas mostrando o que fizeram e o tamanho do susto. Em uma delas, uma loirassa de uns 35 anos, fingindo que estava trabalhando antes da reportagem chegar, chacoalhou o armário e o lustre para mostrar o tamanho do drama, mas o melhor foi a cara de séria dela ao fazer a narrativa.
As constantes e necessárias tentativas das mídias em geral de transformar as exceções em coisas comuns, que vemos todos os diasno jantar como pais que jogam filhos da janela, mortes diárias em jogos de futebol, mesmo quendo nao há jogo,balas perdidas e diárias enfim, com o frigir dos ovos, acabamos achando mesmo que o mundo é feito de exceções, de medos, de paranóias histéricas.

Só falta trocarem o boa noite do Borner por cuidado!

----------------------------------
Mas quem tem medo do lobo mal?

é tudo nosso!
COMO DIZIAM O PUBLIC ENEMY: DON'T BELIVE THAT HYPE!

MAIS BIOCOMBUSTÍVEIS.

Marque na agenda!!!!]

Os impactos socioambientais dos biocombustíveis?, tem sua segunda conferência/debate com uma exposição de Ignacy Sachs (professor emérito da École des Hautes Études en Sciences Sociales, de Paris), debatida pelos professores Weber Amaral (ESALQ) e Guilherme Dias (EAE/FEA/USP).


O evento terá lugar na Sala da Congregação da FEA, na segunda-feira, dia 28/04, das 11:30 às 13:30. Transmissão ao vivo pelo http://www.iptv.usp.br/




Além desse programa ao vivo que certamente ficará nos arquivos, você também encontra outros debates variados! A navegação não é tão fácil, mas esta longe de ser intransponível como o site do Portishead.

BIOCOMBUSTÍVEIS E AGRICULTURA

NESSE LINK você pode ler duas entrevistas muito, mas muito boas mesmo. Estão no G1, que tem feito várias reportagens interessantes, layout legal, blogs corporativos, conteúdo aberto e tudo o mais.
Eles começaram assim:

Para o economista Ricardo Abramovay, professor da USP, ao estimular a pesquisa e a produção do etanol, o Brasil não contribui para a inflação dos preços dos alimentos no mundo. "Não há escassez ou ameaça ao aumento da produção agropecuária brasileira em virtude da expansão dos biocombustíveis", afirma.
Para o economista Sérgio Schlesinger, o Brasil tem responsabilidade direta na crise, e, se o atual cenário dos biocombustíveis se mantiver pela próxima década, o futuro estará comprometido. "O pior cenário é justamente continuar no caminho pelo qual as coisas estão indo."

Confira AQUI as duas entrevistas.

MARQUETEIROS!

Achei a charge no curto e grosso.


Aproveitando a deixa, vou reproduzir em ordem cronológica, os comentários deles (do curto e grosso) sobre o terremoto no Sudeste!

1- Ontem à noite lá pelas nove horas, zero minutos e 48 segundos senti uma leve vertigem e o chão amolecendo sob os meus pés. É incrível o flashback que substâncias ingeridas em um passado remoto ainda podem provocar. (Lacerad)

2- Estou arrasada.Ontem à noite, recebi três ligações quase concomitantes de gente perguntando se eu estava bem. Em menos de uma hora, a redação do portal onde eu trabalho recebeu mais de 1.400 mensagens de internautas falando sobre a sensação do terremoto. Não se fala em outro assunto: onde você estava, como foi, o que você viu, há crianças assustadas nos noticiários e gente comentando como viu a estante tremer.E eu... uma pedra.Não senti nada.Muita decepção. Pô, não é todo dia que a gente tem um terremoto, sabe?Mas já fui animada pelos famigerados especialistas. (Olivia)

3- Desculpem mas eu preciso falar a verdade. Todo mundo por aí falando que a terra tremeu e eu estou me sentindo um loser porque eu não senti nada.Da próxima vez que alguém me perguntar se eu senti alguma coisa, vou fazer como as mulheres fazem há séculos.Vou fingir. (Dan)

terça-feira, 22 de abril de 2008

22 de abril - Earth Day 2008

22 de abril - diversos eventos voltados ao meio ambiente aconteceram nesse dia ao redor do mundo. Nova Iorque, Tokyo, Buenos Aires, Sydney e Barcelona são alguns dos exemplos de locais onde poderão ser vistos shows e outros eventos voltados ao Dia da Terra.

Por que no dia 22 de abril? Foi nesta data que o senador estadunidense Gaylord Nelson fundou, em 1970, a comemoração no país para que a discussão sobre o meio ambiente se tornasse algo nacional. Denis Hayes, então estudante da Harvard, foi chamado para organizar os eventos. Nesse ano, cerca de 20 milhões de pessoas participaram das atividades. Hoje, acredita-se que aproximadamente 500 milhões de cidadãos de todo o mundo fazem algo pelo meio ambiente nessa data.

A mesma organização que promove as celebrações desenvolveu também o Global Water Network, um site para conscientizar o público sobre os problemas com a água e para gerar fundos e patrocínios para projetos de tratamento desse recurso e de ampliação do saniamento básico. O dinheiro arrecado, então, é destinado para Ongs da América do Sul, África e Oriente Médio.

Como é de praxe nas datas comemorativas, a Google criou um doodle (acima) comemorativo para o Earth Day 2008.

Textos sampleados do blog da Super Interessante.
Acesse o earthday.net

Soube que está até rolando uma blogagem coletiva em função do Earth Day 2008 proposta pelo blog FAÇA A SUA PARTE. Bem legal. Está aqui, então, a nossa singela contribuição!

segunda-feira, 21 de abril de 2008

OLÍMPICAS

DO http://www.woostercollective.com/

DUB PESADO

Ontem, enquanto o Maior de Todos estava levando um aperto no/do Clube da Barra Funda, baixava esse disco!
Escutei e fiquei de cara!
Fui um pouco mais atrás da geografia dele e cheguei nesse link! Prestigiei!
Não é qualquer disco!
Não senhor.


Todos os caminhos partiram do http://radiotransistor.blogspot.com/
AQUI o link para baixar.

JOGO DE MAPAS! VOCÊ SABE ONDE É?




presented by TravelPod, the World's First Travel Blog ( Part of the TripAdvisor Media Network )

PARAGUAIAS!

Para você que gosta de política e se importa com o Paraguai, ou itaipú, ou América Latina ou ainda Libertadores da América, siga esses links!!

Aqui, uma sequencia muito legal de postagens feitas por jornalistas que estão cobrindo as eleições no nosso vizinho! As postagens recebem um toque de humor, vale a pena conferir. Aproveite e veja também a cobertura no mesmo modelo das enchentes aqui no Nordeste.

Aqui, comentários da Miriam leitão sobre a polêmica em torno da usina de Itaipú. Só não esqueça que ela trabalha na Globo Corp. as informações são válidas, mas lembre quem ela esta representando!

HIPERTROFIA DO TERCIÁRIO

Se fosse numa aula do terceiro ano ou do pré, diria que é o retrato da hipertrofia do setor terciário. Resultado direto da mecanização do campo e do setor industrial, que liberam mão de obra para os serviços.

Se fosse no primeiro ano, diria: a tecnificação do trabalho libera mão de obra, fazendo com que existam cada vez mais gente em outras áreas do trabalho.


Se estivesse entre amigos, diria: é muita treta para pouco truta, ou melhor, muito truta para pouca treta.



sábado, 19 de abril de 2008

"Joga pedra na Geni, ela é feita pra apanhar..." ou sobre o caso Isabela e os linchadores de plantão

Sampleado do blog do Nassif

Por João Vergílio

Não há pior tipo de ser humano do que o linchador. Ele consegue ser uma espécie de súmula do mal. Reúne em si quase todos os defeitos éticos imagináveis. É covarde por atacar um outro ser humano que não tem a menor possibilidade de defesa, e é covarde duas vezes por ocultar o próprio rosto e as próprias responsabilidades no movimento anônimo da multidão enfurecida. Ele é também um mentiroso. Mente sobre as suas próprias qualidades morais. Não se contenta em acusar intimamente o outro de ser mau. Tem que exibir essa acusação como uma bandeira, bradá-la como um grito de guerra para que todos o ouçam, ser levado às lágrimas, ao desespero, à loucura para que todos o vejam como o oposto daquilo que ele realmente é - um assassino. É um farsante miserável.



Essas malditas senhoras chorando em meio ao coro dos linchadores e cantando "parabéns a você" são todas farsantes. TODAS. Por trás de cada uma delas se esconde uma víbora. Nos tempos da Contra-Reforma, estariam logo cedo na calçada, munidas de ovos e tomates. Demônios!



Espero que a polícia descubra o que realmente aconteceu, e que a Justiça puna cada um na medida de sua culpa. Só isso.
Seria bom que os meios de comunicação mudassem de atitude, e parassem de incentivar o que há de mais obscuro no ser humano. Mas não há a menor esperança de que isso aconteça. São porcos falando para porcos. Todos virtuosos. Todos puros. Todos príncipes na vida.

Jim Surreal Warren

Desde a década de 20, com as vanguardas modernistas, temos o Surrealismo inserido nas artes. Na pintura ou na literatura, cinema... o surrealismo é a critividade materialisada nos ramos artísticos. Max Ernst, René Magritte e Salvador Dalí - nas artes plásticas, André Breton - na literatura e Luis Buñuel - no cinema, são os nomes ligados à esse estilo e obrigatórios pra quem gosta do surreal.

Nada de lógica ou razão. No surrealismo se vai além da conciência prática e cotidiana. É a expressão do inconsciente, dos sonhos e alucinações. Uma das principais idéias trabalhadas pelos surrealistas é a da escrita automática, segundo a qual o impulso criativo artístico se dá através do fluxo de consciência despejado sobre a obra. Ainda segundo esta idéia, a arte não é produto de gênios, mas de cidadãos comuns.

Agora saiamos um pouco das origens do surrealismo e vamos falar sobre o nome que assina esse post - Jim Warren. Artista plástico nascido em Long Beach, Estados Unidos. É um dos mais bem sucedidos e versáteis artistas da atualidade apresentando-se em algumas das melhores galerias do mundo. Jim brinca com as imagens, funde e confunde, mostrando que sonhos surreais podem surgir das formas estáticas.

Acompanhando as pinturas de Jim Warren, nota-se suas raízes cravadas profundamente em Salvador Dalí. A partir de um mundo sugerido e pintado, Jim nos força a criar um segundo - sem tinta, sem imagem concreta, apenas suposições que cada um pode criar ou sonhar individualmente.

Veja o surrealismo de Jim Warrem e alcance os limites da imaginação aqui mesmo:



















Qualquer semelhança com Dalí é pura adimiração mesmo!

Mais de Jim Warren em jimwarren.com

*basta clickar nas imagens para vê-las ampliadas

terça-feira, 15 de abril de 2008

NOVOS FUSOS

Aparentemente, a lei que muda alguns dos fusos será aprovada!

O Acre e o terceiro fuso irá sumir, unificando ao fuso do amazonas (uma a menos que brasília e quatro a menos de Greenwich).

A outra mudança é unificar o fuso do estado do Pará, que a Oeste está uma hora a menos de brasília, e a Leste no horário de Brasília!


Leia no Terra aqui!

LIXÃO

ACHEI NO SITE DA UOL!

Foto divulgada pela Agência Espacial Européia mostra cinturão de lixo espacial orbitando em volta da Terra. Desde 1957, os humanos já lançaram 6 mil satélites. Hoje há cerca de 800 em atividade
NOTA DO BLOG: Imagina o trabalho que não dá para lançar um foguete, para que não bata no lixo espacial!

FOME?

Continuo gostando e comendo carne, sem dúvida!

Mas se as vacas emissoras de metano, comedoras de soja e donas de patas grandes fizeram esse stencil (máscara), eu vou respeitar, parei hoje!

Hoje não, talvez no mês que vêm, se as ruminantes continuarem no rolê!


---------


O site original da imagem é o ótimo http://www.woostercollective.com/, só grafite pesado!

Achei esse posto no blog do Luis Nassif e por curiosidade na semana passada, conversei com alguns amigos sobre os ícones representativos do mundo!
Falamos bastante dos Estados Unidos, John Wayne, James Jean e Homer Simpson, como ícones simbólicos da referida sociedade! Também falamos de Macunaíma e Brasil, analogia óbvia e garantida, mas que só é conjugada dentro do país. Talvez Macunaíma seja mais espelho do que referência e como diz o texto, não há indícios de que isso seja bom em âmbito político!

O Brasil atrás de intérpretes - 2

Por Frederick Montero

Bom, vou ver se consigo contribuir com alguma coisa para o debate. Eu acredito que o grande problema nas discussões políticas entre direita e esquerda no país resida no fato de sempre se restringirem às situações comezinhas ou questões rasteiras, porque o Brasil não tem um conceito que sirva de bandeira ou mote para as ações e pensamentos de seus políticos e cidadãos, nem ícones ou heróis que representam esses conceitos.



O único ícone genuinamente brasileiro é o Macunaíma, que não serve de par6ametro para a política (ou não deveria). Os EUA é um país, por exemplo, que tomou para si o tema da Liberdade como um conceito para representar o seu modo de ser e agir. E grande parte da sua cultura, do cinema à política, reflete esse conceito, criando heróis que lutam pela causa da liberdade.


Seguindo através do lema da revolução francesa, no caso da França, a sua marca é o conceito de Igualdade e, portanto, sua cultura reflete esse conceito, buscando evidenciar que a democracia se alcança através da Igualdade de todos os cidadãos (diferentemente dos EUA, onde a Liberdade é o principal conceito da democracia). O que falta ao Brasil é um conceito que sirva como base para fugirmos das discussões rasteiras e ajude às diferentes facções a focar em uma direção comum.
Se quisermos nos manter no campo de conceituação da democracia, uma saída é adotar o lema da Fraternidade como um conceito para representar o Brasil e trabalhar na construção de ícones, histórias e heróis que sirvam como mote.

----------------------------------------------
NOTA DO BLOG: Não sei se fraternidade é a melhor, mas sem dúvida é boa!

O QUE VOCÊ ACHA? É UM BOM TEMA PARA ERGUER ÍCONES E REFERÊNCIAS CULTURAIS / POLÍTICAS?

segunda-feira, 14 de abril de 2008

60's, EUA e o Rock'n'Roll

Se existiu um grupo que mereceu a pecha de radical, foi o MC5. Apesar de serem semi-desconhecidos e terem vendagens modestas, o grupo foi perseguido pelo governo norte-americano nos anos 60 e 70 como poucos. E não é para menos. O MC5 abraçava causas "perigosas" e seu empresário, John Sinclair, era um cara barra-pesada, e pegou uma pena de 10 anos na cadeia por tráfico de drogas. Moraram junto dos Stooges e apareceram com um dos discos mais sujos, esporrentos e violentos da história, o seminal Kick Out The Jams, com seu clássico grito "Kick Out the Jams, Motherfuckers!". Muito antes de Sex Pistols, Ramones, Clash, Dead Kennedys e outros punks aparecerem, o MC5 já era uma lenda. De curta vida, como um bom grupo proto-punk.

Esses cinco rapazes foram uma das maiores preocupações da América puritana dos anos 60 e viraram lenda com sua postura extremamente radical em que pregavam o sexo, as drogas e a anarquia. O MC5, literalmente, arrepiava.

A banda nasceu em 1965 e era chamado - inicialmente - The Motor City Five, uma clara referência à cidade de Detroit, berço da indústria automobilística e rapidamente abreviou o nome para apenas MC5. Após o lançamento do primeiro compacto - em 1966 - acabaram encontrando um importante aliado e uma das figuras mais polêmicas dos anos 60: John Sinclair - escritor talentoso e colaborador de dezenas de revistas e jornais. Tinha fundado um pequeno jornal chamado Guerrilla, que pregava uma grande revolução cultural. Nascia assim um grupo chamado Trans-Love Energies Limited, um misto de comunidade hippie e cooperativa trabalhista com fins de organizar eventos de contra-cultura. Paralelamente a isso, criou o movimento dos White Panters (Panteras Brancas), que se espelhava na organização dos The Black Panther Party (Partido dos Panteras Negras), formados por negros na Califórnia.

No de 1968, após a gravação de um compacto, série de shows turbulendo, agressões e choques policias e várias machetes de jornal, o MC5 assina com um selo grande - Elektra - e começam a trabalhar no primeiro disco. E nada melhor para um primeiro disco do MC5 do que gravar ao vivo e em seu ambiente favorito - o Grande Ballroom.
O show foi histórico e o Ballroom ficou lotado até não poder mais. Com os fãs berrando providencialmente o já tradicional grito "kick out the jams, motherfuckers!" - algo como "ponham tudo para fora, filhos da puta!".

Em meio a toda essa atmosfera de revolução cultural e engajamento político, lançam em outubro de 1969 o segundo disco, Back in the USA. Após a primeira turnê pela Europa, em março de 1970, entram novamente em estúdio para gravação do terceiro e último álbum de estúdio - High Time. O disco mostra um MC5 mais afiado do que nunca e todo o carisma da banda. Mas na verdade, o MC5 já era quase um nome a ser esquecido.

Seguiram até o dia 31 de dezembro de 1972, quando fizeram o show de adeus no mesmo local em que foram consagrados, o Grande Ballroom. Foram anos de muito som alto saindo dos amplificadores, discursos inflamados, problemas com drogas, brigas com a mídia, polícia, gravadora e até fãs e seguidores da banda.

A partir dali cada um seguiu seu caminho. Fred Smith - guitarraista - montou um grupo, depois casou com Patti Smith e manteve-se fiel à sua esposa até sua morte, em 1994. Rob Tyner - vocalista - morreu em 1991, de um ataque cardíaco.

"Fomos punks antes dos punks, new wave antes da new wave, metal antes do metal e MC antes do Hammer surgir." afirma Rob Tyner, em 1991, para o lançamento de Kick Out The Jams em CD.

Há uns anos atrás o inesperado acontece. Os outros três membros remanescentes voltaram a se entender com Sinclair e organizaram uma turnê que passaria por vários países, inclusive o Brasil. O baterista Dennis Thompson, o baixista Michael Davis e o guitarrista Wayne Kramer entraram em turnê com Mark Arm do Mudhoney substituindo Rob Tyner nos vocais.

Se quizer saber como soa toda essa revolução causada pela banda de Motor city - MC5, ai vai os links dos três álbuns. Conheça e KICK OUT THE JAMS.. MOTHERFUCKER!


1969 - Kick Out The Jams


1970 - Back In The USA

1971 - High Time

textos extraidos de MOFO

sábado, 12 de abril de 2008

O longínquo dia de ontem e o envelhecedor de imagens

Essa eu achei no blog do Tiago Dória.
(Blog bem legal para dicas de coisas interessantes na rede)

É um site que oferece um serviço de envelhecedor de imagens! É em japonês, mas é ridiculamente fácil. É só procurar a imagem no seu computador clicar 2 vezes e mandar o programa fazer o serviço, clicando na barra abaixo de onde aparece "procurar".
Nas fotos abaixo meus filhos em versão "normal" e "envelhecidos".













obs: Eles são lindos, eu sei. Seus nomes são Luiza e Francisco, e esse post é especialmente dedicados a eles.

quinta-feira, 10 de abril de 2008

VOCÊ REALMENTE QUER FAZER JORNALISMO?

ACHEI O VIDEO NO http://www.curtoegrosso.com/

BBB E O MESTRE

O que vi de gente muito legal falando do BBB8, não esta no gibi, literalmente!

O mestre argentino das tirinhas fez essa ai de baixo, provávelmente, pensando em outras couves, mas cabe certinho!

MAIS DO ALLAN SIEBER!

Essa quadrinho saiu no caderno xóvem da Folha de SP, mas também está publicado no http://talktohimselfshow.zip.net/

ROTEIRO PARA PROVA!

Amigos, segue abaixo roteiro padrão de temas a serem estudados para a prova do terceiro colegial do Contato centro, nesse sábado!

Pensamentos geográfico
Cartografia
Escalas
Projeções
Fusos horários
Camadas internas da terra
Deriva continental
Placas tectônicas
Áreas orogenéticas e consequências
Áreas epirogenéticas e conseqüências
Escudos cristalinos
Bacias sedimentares
Rochas intrusivas
Rochas extrusivas

Nessa sexta feira poderemos tirara as últimas dúvidas, mas se durante a tarde de sexta feira, em meio aos seus estudos, aparecerem algumas dúvidas, poste aqui em baixo, nos comentários que responderei o mais rápido possível (no máximo até as 18h)!


BOA PROVA!

Paper Crafts!

Toda criança adora brincar com papel, canetinhas, cola, tesoura (sem ponta.. hehe). Sucesso total. As crianças vão crescendo, crescendo.. e depois de adultas algumas ainda carregam hábitos, costumes ainda da infância. De alguma forma isso é bem positivo.

Paper Crafts (arte com papel) não vai muuuito além do papel, canetinhas, cola, tesoura (melhor se for sem ponta).. coisas de criança, mas nada infantil. No Oriente a expressão de Paper Crafts mais comum e tradicional é a do Origami e Kirigami - também bem difundidas no ocidente. Hoje não vamos nos aprofundar nessas maravilhosas criações orientais - fica pra uma postagem futura.

Essa série de
Paper Crafts me chamou muito a atenção pela simplicidade, criatividade e manipulação de pouco material e recursos. A série foi toda (bem e maravilhosamente) produzida com papel A4:










Vale dizer.. click nas imagems e as veja ampliadas.